Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Organização da Informação na Web

Talvez um dos pontos determinantes para o sucesso ou não de um website seja o modo como sua informação é organizada. No entanto, muitos projetistas não se preocupam com esta etapa, ou por falta de conhecimento ou por julgá-la desnecessária.

A organização faz parte do nosso dia-a-dia. Procurar por um prato em um cardápio pode ser prazeroso ou frustrante, de acordo com o esquema de organização escolhido.

Um sistema de organização é composto de esquemas de organização - ambíguo ou exato - e estruturas de organização - hieráquica, hipertextual, banco de dados - que definem a forma com que os conteúdos podem ser agrupados.

Um esquema de organização define as características compartilhadas de itens de conteúdo e influencia o agrupamento lógico de tais itens. Uma estrutura de organização define os tipos de relações entre os itens de conteúdo e dos grupos. (ROSENFELD e MORVILLE, 2006, p. 58)

Os esquemas ambíguos, “não possuem regras claras. Entretanto, são mais úteis que os esquemas exatos, pois suportam a navegação do usuário que não sabe qual o dado que procura”. (Agner, 2007, p. 90).  São categorizados por: temas, tarefas, público-alvo, metáforas e híbridos.

FIGURA  2: Organização Ambígua.

Figura 2 - Organização Ambígua

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p. 64

Enquanto os esquemas exatos “dividem a informação entre seções bem definidas e mutuamente excludentes (sem ambigüidades), e tornam óbvia a localização de itens. São adequados para usuários que sabem exatamente o que procuram” (Agner, 2007). São categorizados por: alfabético, cronológico, geográfico, seqüencial.

FIGURA  3: Organização exata de conteúdo.

Figura 3 - Organização Exata do Conteúdo

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p.60

Antes de selecionar um esquema de organização é importante conhecer o usuário e as tarefas que serão realizadas a partir desta classificação. Um erro na escolha pode ser fatal para o sucesso do website.

Já a estrutura de organização define a forma primária na qual o usuário pode navegar. Os principais tipos de estruturas são: hierárquica, hipertextual e banco de dados.

A aplicação de somente um dos tipos de estrutura, nem sempre, é suficiente para atender às especificações de um projeto web. Em muitos casos é preciso combiná-las, a fim de obter um sistema no qual a classificação atenda às reais necessidades dos usuários.

Convém explicitar abaixo os tipos de estrutura possíveis na organização da informação e como se aplicam nos diferentes projetos.

Hierárquica: abordagem top-down

De acordo com Rosenfeld e Morville (2006, p. 69), a hierarquia é onipresente em nossa vida e por isso o usuário pode facilmente identificar sites que possuem o modelo de organização hierárquica.

Esta abordagem permite a identificação das principais áreas do site e os possíveis modos de organização do conteúdo, sem a necessidade de passar pelo inventário de conteúdo . 

FIGURA  4: Modelo hierárquico

Figura 4 - Organização Hierárquica de Conteúdo Abordagem Top-Down

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p.70

Hipertextual

A organização hipertextual é uma forma não linear de estruturar a informação. Este tipo de organização, em geral, pode ser complexa para o usuário, já que, de alguma forma, podem carregar em si associações pessoais.

“É como se eles – os usuários – fossem jogados em uma floresta e estão saltando de árvore em árvore, tentando entender a configuração da terra. Eles simplesmente não podem criar um modelo mental da organização local. Sem contexto, os usuários podem rapidamente tornar-se oprimidos e frustrados.” (ROSENFELD E MORVILLE, 2006, p. 77).

Sendo assim, o hipertexto não deve ser escolhido como opção para a organização primaria de conteúdo. O seu uso, complementando uma estrutura hierárquica, pode ser mais útil, pois ele permite relacionamentos entre itens e áreas.

FIGURA  5: Modelo Hipertextual

Figura 5 - Organização Hipertextual

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p. 77

Banco de dados: abordagem bottom-up

Um banco de dados é um conjunto de dados organizados para facilitar a recuperação de informação, sendo divididos entre relacional e não-relacional.

Relacional – os dados são armazenados em uma estrutura de relações (tabelas) entre linhas x colunas, na qual cada tabela possui ao menos uma coluna e uma linha.  A coluna representa os campos e a linha o dado ou registro.

Na figura 6, a tabela “Author_Title”, através dos campos “au_id” e “title_id”, ligam dados que foram gravados em tabelas autor e títulos, respectivamente.

FIGURA  6: Modelo de Banco de Dados Relacional

Figura 6 - Modelo de Banco de Dados Relacional  

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p.75

Não-Relacional – serve mais como um repositório de dados, sendo livre de qualquer esquema que busque engessar sua estrutura. Desta forma é um tipo de banco que não possui verificação de integridade e relacionamentos. 

Um ficha catalográfica (FIGURA 7) possui uma organização orientada a banco de dados, já que cada uma delas deve ser entendida como um único registro com vários campos específicos, como nome, endereço e telefone. Uma coleção destes registros é um banco de dados.

FIGURA  7: Modelo de Banco de Dados Não-relacional

Modelos de Banco de Dados Não-Relacional

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p. 73

 

REFERÊNCIAS

AGNER, Luiz. Arquitetura de informação e governo eletrônico: diálogo cidadãos-Estado na World Wide Web – estudo de caso e avaliação ergonômica de usabilidade de interfaces humano-computador. 2007. 354f. Tese (Doutorado) - Puc-Rio, Rio de Janeiro, 2007.

ROSENFELD, Louis; MORVILLE, Peter. Information Architecture for the World Wide Web: Designing Large-Scale Web Sites. 3ª ed. Sebastopol, Califórnia : O’Reilly, 2006.

Daniel Correa :: Todos os direitos reservados :: 2009 a 2012

Conteúdo do Blog sob licença Creative Commons