Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Sistema de Busca

Segundo Rosenfeld e Morville (2006, p. 146) “um sistema de busca determina as perguntas que o usuário pode fazer e o conjunto de respostas que ele irá obter do sistema”. Talvez seja, dentre os quatro sistemas, o mais importante, pois é a partir da busca que o usuário consegue satisfazer diretamente a sua necessidade informacional.

Superficialmente podemos dizer que um sistema de busca funciona com bastante simplicidade. De modo geral este sistema se resume a uma caixa para entrada do termo a ser pesquisado e um botão, que ao ser clicado, nos apresenta o resultado da busca.

Porém, por trás de toda esta simplicidade visual e operacional ofertada ao usuário final, um sistema de busca possui algoritmos complexos e específicos para recuperar a informação solicitada.

Tecnicamente, podemos dizer que um sistema de busca pode

[...] utilizar linguagem natural ou operadores booleanos. As perguntas são cruzadas com um índice que representa o conteúdo, formado por todos os termos encontrados nos documentos ou por uma lista com títulos, autores, categorias e informação relacionada. (AGNER, 2007, p. 97)

Apesar da importância, para Rosenfeld e Morville (2006, p. 146), “a inserção de um sistema de buscas em um site depende de vários fatores”. Este fatores devem ser analisados levando em consideração os prós e os contras:

  • A quantidade de conteúdo de um site nem sempre determina se é necessário ou não um sistema de busca. Porém o tipo conteúdo e sua organização podem determinar.
  • ­A implementação de um sistema de busca é complexa e, portanto, só considere colocá-lo em seu site se existir tempo em seu projeto para isso.
  • Se não há tempo, nem verba para desenvolver um sistema de busca, talvez seja interessante considerar a criação de um índice, pois este pode ser criado basicamente em HTML e é de fácil manutenção.
  • É importante considerar a implementação de um sistema de busca em sites dinâmicos, como uma loja virtual ou um portal de notícias. Como a cada dia inúmeras novas informações são inseridas nestes sistemas, criar e manter um índice em HTML, de forma estática, certamente não é uma boa escolha.

FIGURA  11: Estrutura Básica de um Sistema de Busca

Fonte: Rosenfeld e Morville, 2006, p.150

A figura acima mostra de forma simples o que é e como funciona internamente um sistema de busca.

O Arquiteto de Informação, assim como os profissionais de TI, são responsáveis pela construção de um bom sistema de busca. O primeiro defende e compreende como deve funcionar, sempre olhando pelos olhos dos usuários. O segundo faz funcionar.

Idealmente, o arquiteto de informação, o especialista em TI, e pessoas com outros tipos de competências irão determinar as suas respectivas necessidades, discutir como essas podem afetar uns aos outros, e, finalmente, apresentar um conjunto unificado de requisitos ao avaliar um sistema de busca. (ROSENFELD; MORVILLE, 2006, p. 150)

Os fatores a se considerar para projetar um sistema de busca são: o que se busca, o que recuperar e como exibir os resultados. Seria interessante se houvesse um padrão de interface para estes sistemas, mas a diversidade de tecnologias e níveis diferentes de conhecimento entre os usuários de um sistema impede a padronização.

Rosenfeld e Morville (2006, p. 180) citam alguns fatores que determinam esta variação de interface:

  • Nível de especialização da busca e motivação;
  • Tipos de necessidade informacional;
  • Tipo de informação a ser pesquisada, e
  • Quantidade de informação que está sendo pesquisada.

O resultado de uma pesquisa pode variar de acordo com o conhecimento do usuário sobre o assunto e o sistema de busca, e também sobre as ‘suposições’ do algoritmo de pesquisa.

Desta forma, a maioria dos bons sistemas de busca possuem uma busca simples, que compreende em somente uma caixa de entrada de texto e um botão, e uma busca avançada, que possui várias opções, como por exemplo, a aplicação de lógica booleana na construção de sua pesquisa.

FIGURA  12: Interface de Busca Simples da Google.com

 Fonte: Google (2011)

 

FIGURA  13: Interface de Busca Avançada da Google

 Fonte: Google (2011)

 

REFERÊNCIAS

 

AGNER, Luiz. Arquitetura de informação e governo eletrônico: diálogo cidadãos-Estado na World Wide Web – estudo de caso e avaliação ergonômica de usabilidade de interfaces humano-computador. 2007. 354f. Tese (Doutorado) - Puc-Rio, Rio de Janeiro, 2007.

ROSENFELD, Louis; MORVILLE, Peter. Information Architecture for the World Wide Web: Designing Large-Scale Web Sites. 3ª ed. Sebastopol, Califórnia : O’Reilly, 2006.

Daniel Correa :: Todos os direitos reservados :: 2009 a 2012

Conteúdo do Blog sob licença Creative Commons